terça-feira, 22 de julho de 2014

Ultravioleta

Poesia expressionista, o grito da coruja
 
Sento-me a teu lado nas tábuas ressequidas.
 A indiferença das horas tudo impregna com o seu pó.
Luz deambula
Incerta
Paisagem
Recua colada às paredes.
Voltas-te na claridade obtusa. Do zénite cai a escada.
Por ela sobem as cinzas.

1 comentários:

Unknown disse...

Adoro esta frase: "A indiferença das horas tudo impregna com o seu pó." Como sempre uma óptima poesia e uma imagem de grande impacto!.