quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Bardo

bardo

Conheces-me do país dos sonhos, dos contos de embalar, dos trilhos sombrios inundados de relento.
Conheço-te dos vapores da fantasia, das auroras que acordam brumas às horas em que adormeço.
És Luz, e eu Luar;
sou noite escura, tu o dia;
 Apolo és,
 e eu Poesia.

0 comentários: