terça-feira, 29 de junho de 2010

Nos Braços do Funcho


3 comentários:

Nanda Costa disse...

Só posso dizer uma palavra: ESPANTOSA!
Bjs!

Nanda Costa disse...

E cá vai o poema, porque só agora tive um tempinho:

Lua Adversa

Tenho fases, como a lua,
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...).
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Cecília Meireles, in 'Vaga Música'

Leda Dylluan disse...

Lindo poema!

Para se conseguir captar uma imagem assim da Lua, é neccessário criar a chamada "Ilusão de Ponzo", um truque que nada tem a ver com fotografia, tem antes a ver com a Física e com a Psicologia.

Bjinhos